Patologias

Varizes

O que são Varizes?

São veias permanentemente dilatadas, tortuosas e com função comprometida. Afetam cerca de 15% da população adulta, sendo mais comum em mulheres do que em homens devido a alguns fatores como gestações, hormônios como os anticoncepcionais e reposição hormonal.

A partir da puberdade há aumento progressivo na incidência das varizes, sendo que acima de 70 anos cerca de 70% das pessoas apresentam varizes nas pernas. É uma doença hereditária, ou seja, pode passar de pai, mãe ou avós para os filhos ou netos.

Quais os sintomas mais frequentes?

Os sintomas das varizes geralmente são dor ou desconforto (cansaço) nas pernas, principalmente no final do dia e após longos períodos em pé ou em dias mais quentes. Nos casos mais avançados, pode aparecer edema (inchaço) nas pernas, que se acentua com o passar do dia, tornando-se mais evidente no final da tarde e causando desconforto na região. Às vezes, podem surgir cãibras. No início do período menstrual ou um pouco antes costuma haver a piora dos sintomas.

Trombose

O que é Trombose Venosa Profunda (TVP)?

Trombose Venosa Profunda (TVP) é uma doença onde coágulos sanguíneos se formam em veias do corpo. A maioria dos casos ocorrem nos vasos das pernas, mas podem acontecer em outras partes do corpo. Os coágulos da trombose venosa profunda podem se soltar e seguir pela corrente sanguínea, chegando ao pulmão (embolia pulmonar), que pode causar a morte.

Prevenção?

Para se prevenir da formação de coágulos sanguíneos, são necessárias algumas medidas, como evitar ficar sentado por longos períodos, exercitar as pernas, não usar roupas muito apertadas, manter o peso adequado, consumir alimentos saudáveis e praticar atividades físicas.

Tratamento

O objetivo do tratamento pode ser dividido em três estágios diferentes: impedir o crescimento do coágulo, evitar seu avanço para outras partes do corpo e reduzir as chances de recorrência da trombose venosa profunda.

Para cumprir esses estágios, o médico vascular pode indicar o uso de medicamentos anticoagulantes para diminuir a coagulação e afinar o sangue, ou sugerir uma intervenção cirúrgica, que consiste em inserir filtros na maior veia do abdômen para impedir que os coágulos se desloquem para os pulmões.

Tromboflebite

O que é Tromboflebite Superficial?

Tromboflebite superficial é a formação de um coágulo no interior de uma veia localizada próxima à superfície da pele. Geralmente, veias nesta localização são finas e o coágulo acaba se fixando no local, causando dor, inchaço, vermelhidão e endurecimento da veia. A situação fica mais grave quando o coágulo se propaga ou se forma em veias maiores, como a veia safena na coxa ou veias profundas. Nesta situação, o coágulo pode migrar para o pulmão, causando uma embolia pulmonar.

Qual a causa da tromboflebite superficial?

A tromboflebite superficial pode ocorrer em varizes nas pernas. Pode ocorrer também em veias que foram usadas para retirar sangue ou para injetar soro ou medicamentos. Veias localizadas em locais onde ocorreu um pequeno trauma podem desenvolver tromboflebite. Em raros casos, a tromboflebite pode ocorrer em veias normais em pacientes com tendência familiar a formar coágulos (trombofilia).

Quais são os sintomas?

A tromboflebite superficial geralmente causa dor sobre uma veia na perna ou no braço. A área afetada fica endurecida, inchada, quente e avermelhada.

Qual é o tratamento para tromboflebite superficial?

Se a tromboflebite superficial está localizada em uma veia pequena, distante da veia safena na coxa ou de uma veia profunda, o tratamento geralmente é feito com:

  • Medicamentos – anti-inflamatórios e analgésicos podem ser usados para controle dos sintomas.
  • Creme – massagem com creme apropriado ajuda a aliviar os sintomas e promove a absorção do coágulo.
  • Calor local – ajuda no alívio dos sintomas e na absorção do coágulo.

Se a tromboflebite superficial está localizada na veia safena próximo à coxa ou em veias profundas, adiciona-se ao tratamento medicamentos que impedem a formação de coágulos – os anti-coagulantes. Estes medicamentos fazem com que o coágulo não cresça e impedem que ele migre para o pulmão. O tratamento é semelhante ao da trombose venosa profunda.

Em alguns casos, é necessária uma pequena cirurgia para interromper a veia safena e impedir que o coágulo migre para veias profundas.

Erisipela e Celulite

O que são erisipela e celulite?

Erisipela e celulite são dois tipos de infecção na pele. As duas causam vermelhidão, dor e inchaço. A diferença entre elas é profundidade que a infecção atinge. A erisipela atinge as camadas mais superficiais da pele e a celulite atinge as camadas mais profundas e também, a camada de gordura que fica embaixo da pele. Tanto a erisipela quanto a celulite ocorrem quando bactérias penetram na pele. Estas bactérias, que são parte da flora bacteriana, vivem normalmente na pele saudável sem causar problemas. Se há um corte ou ferida, as bactérias podem penetrar na pele e causar infecção.

Algumas situações aumentam a chance de se ter erisipela ou celulite:

  • Ter um corte no pé;
  • Ter ferida no pé ou na perna;
  • Ter micose (fungos) entre os dedos;
  • Ter inchaço na perna;
  • Estar acima do peso.

Existe algum exame para erisipela e celulite?

A maioria das pessoas com erisipela e com celulite não precisa de nenhum exame. A avaliação do médico clínico ou cirurgião vascular faz o diagnóstico. Em alguns casos, o médico pode solicitar exames de sangue ou até mesmo da pele para identificar a bactéria que está causando a infecção.

Qual é o tratamento da erisipela e da celulite?

O tratamento da erisipela e da celulite é feito com antibióticos. Nos casos mais leves, o tratamento pode ser feito em casa e os antibióticos são tomados na forma de comprimidos ou injeções no músculo (nádegas). É muito importante fazer o tratamento completo, tomando o antibiótico da maneira que for prescrito, geralmente de sete a dez dias.

Se o tratamento não for feito de maneira completa, a infecção pode voltar pior. Nos casos mais graves, o tratamento mais adequado é feito com internação no hospital e os antibióticos são dados diretamente na veia. Em raras vezes, procedimentos cirúrgicos são necessários pra ajudar a curar a infecção.

Úlcera

O que são as Úlceras?

Úlceras são lesões superficiais ou profundas que podem ser causadas por fatores como hereditariedade, doenças pré-existentes, sedentarismo, obesidade, tabagismo, entre outros. No caso das úlceras em membros inferiores, existem dois tipos principais: as venosas e as arteriais.

As úlceras arteriais são ferimentos formados por conta da obstrução das artérias. A falta de sangue rico em oxigênio e nutrientes para irrigar os tecidos causa morte celular e, consequentemente, facilita o surgimento das lesões. As feridas estão associadas à aterosclerose das artérias, que é a formação e depósito de placas de gordura na parede dos vasos. Por conta da obstrução causada pelas placas, o fluxo sanguíneo fica prejudicado e não irriga os tecidos de forma eficiente. Além disso, outros fatores, como tabagismo, diabetes não controlado e colesterol alto, também podem colaborar para esse tipo de úlcera, que é mais comum nas canelas e extremidades dos dedos dos pés.

As úlceras venosas são mais comuns. Neste caso, o sangue fica “empoçado” na região e acaba fragilizando a pele, que fica mais suscetível aos traumas. Qualquer pequeno ferimento pode originar uma condição crônica. A úlcera venosa tem maior possibilidade de ocorrer em mulheres, pessoas que permanecem em pé por longos períodos e com hábito de vida sedentário. Hereditariedade também é um fator de risco.

Quais são os tratamentos?

Os tratamentos para os dois tipos de úlcera são diferentes:

Para os ferimentos de origem arterial, é feita uma Angioplastia, cirurgia realizada para desobstruir as vias através de um cateter com um balão na ponta, que é inserido na artéria juntamente com uma estrutura chamada “stent”. O balão é inflado, ajudando no fluxo sanguíneo, e o stent é colocado, para impedir que a artéria de feche novamente. Outra possibilidade é o Bypass, ou ponte, para desviar o fluxo sanguíneo da área obstruída.

Já as úlceras de origem venosa requerem um tratamento mais simples, à base de medicamentos para diminuir a pressão dentro das veias. Outra forma de tratá-las é através da elevação dos membros durante períodos de repouso, para diminuir o inchaço das pernas ou pés.